VIDEOCLIPE HOMENAGEM AOS AGRICULTORES

Há vários anos o Agro vem mantendo a balança comercial brasileira em equilíbrio, produzindo alimentos para uma grande parcela da população mundial. Toda cadeia de produção industrial e comercialização de alimentos tem seu início com o trabalho do Agricultor ou do Agropecuarista.

Por este motivo, com muita gratidão e carinho, o Coro Canta Horizonte preparou uma homenagem àqueles que trabalham incansavelmente para que em todos os tempos tenhamos alimentos em nossas mesas.

AGRO: ORGULHO BRASILEIRO!

https://www.youtube.com/watch?v=FHQHiJ4YZRo

Ficha técnica:
Lavoura de Sonhos
Compositor: Joel Marques
Arranjador: Alessandro Greschuk
Produção e masterização: Roberto Schumann
Imagens: Guilherme William e banco de imagem
Edição: Clovis Röske e Cristiani Glasenapp Röske
Regência: Gerson Daniel Giese
Direção artística: Marlise Sulzbach Ricardi e Joise Fabiane Brach

Agradecimento especial ao agricultor Pedro Barbian e família

Produção do Coro Canta Horizonte
Projeto cultural para trabalhadores do Grupo Horizonte

Sopranos:
Adelaide Paulina Eger
Clair Leocadia Hofstaetter
Cristiane Andreia Schmidt
Daniele Jaqueline Mombach
Joise Fabiane Brach
Katiane Aparecida Willy Herpich
Lúcia Henz Hoff
Marlise Sulzbach Ricardi
Miriam Inês Farsen
Rosângela de Fátima Bispo Freitag
Sidnéia Aparecida Andrade

Contraltos:
Jacinta Espindola
Liane Hammerschmidt Dummer
Salete Maria Müller
Tamires Gomes da Silva

Tenores:
Adir Chiapetti
Alessandro Greschuk
André João Dall Forno
Belmir Rader
Everaldo Luiz de Paula
João Vitor Chiapetti Leão

Barítonos:
Guilherme Albrecht
Lucidio Argeu Vorpagel
Convidado: Lucas Samuel Zanchet

Letra

Como é lindo de se ver a planta na brotação
É vida que vem nascendo rasgando as entranhas do chão
O sertanejo se alegra, a esperança não morre mais
Quem tem lavoura de sonhos, arado não cega jamais

Cai a chuva mata a sede da planta que o sol vem beijar
Mesmo assim toda noite tem reza pra Deus ajudar

A terra sorve o suor da fronte do lavrador
Como se fosse uma gota de orvalho na face da flor
A recompensa é farta a roça por fim floresceu
Quem tem lavoura de sonhos semente jamais se perdeu

Cai a chuva mata a sede da planta que o sol vem beijar
Mesmo assim toda noite tem reza pra Deus ajudar

Como é lindo de se ver a mesa farta de pão
Parecendo a Santa Ceia no seio da religião
O trabalhador não cansa de plantar os seus ideais
Nessa lavoura de sonhos que a gente não colhe jamais

Cai a chuva mata a sede da planta que o sol vem beijar
Mesmo assim toda noite tem reza pra Deus ajudar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *